Blog

Confira nosso blog.

O surto do vírus da zika no Brasil pode ter um novo vetor além do mosquito Aedes aegypti, segundo revelação feita ontem por pesquisadores do projeto de vetores da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) em Pernambuco. De acordo com a cientista Constância Ayres, o vírus foi encontrado ativo na glândula salivar e no intestino do mosquito Culex, o pernilongo comum.

Pesquisadores da Fiocruz (Fundação Oswaldo Cruz) estão obtendo resultados promissores em um novo experimento contra o Aedes aegypti. Eles introduziram a bactéria Wolbachia (lê-se voubáquia) em ovos do mosquito para torná-lo incapaz de transmitir os vírus da dengue, da febre amarela, da chikungunya e da zika.

Um novo estudo desafia a ideia tradicional de que a formiga é um inseto trabalhador, reforçada ao longo dos séculos pelas célebres fábulas de Esopo e Jean de la Fontaine. Pesquisadores americanos estudaram o comportamento de formigas de uma espécie comum nos Estados Unidos e descobriram, surpreendentemente, que metade delas não faz absolutamente nada no formigueiro, limitando-se a andar de lá para cá.

A maioria das picadas de mosquito são inofensivas (e dão uma comichão) e se curam por conta própria. Às vezes, porém, uma picada pode causar reações alérgicas ou, até mesmo, uma doença grave.

Quando cientistas, biólogos e técnicos do Ministério do Meio Ambiente se reuniram em 2003 para apresentar a lista de espécies ameaçadas de extinção do Brasil, eles tinham algumas notícias ruins. Uma das más notícias era a certeza de que sete espécies tinham desaparecido para sempre do planeta. Estavam extintas. Entre elas, uma formiga minúscula e pouco conhecida de Ilhéus, na Bahia. Batizada de Simopelta minima, a pequena formiga não era mais vista desde 1989, e o habitat onde fora encontrada tinha sido destruído. Era o primeiro caso de uma formiga extinta pela ação humana. 

Quão desagradável é estar em um local onde as pragas urbanas estão por toda a parte! Além de ser constrangedor, as pragas trazem muitas doenças. Quando estamos em um ambiente em que as pragas urbanas estão presentes, a empresa é vista como anti-higiênica e duvidosa sobre a qualidade de seus produtos ou serviços que são oferecidos aos consumidores.

Cientistas sequenciaram o genoma completo da mosca comum e afirmam que as descobertas podem ajudar a descobrir novos tratamentos para doenças que afligem os humanos. A mosca pode carregar cerca de cem doenças, incluindo problemas que levam à cegueira.

Endereço
Rua Conde do Pinhal, 1534, Centro, São Carlos- SP
Telefone
(16) 3371-3408
Email
imunibem@terra.com.br